Ligue-me
Pretendo receber mais informações

Higienização hospitalar: compreender a sua importância para não correr riscos

3
fev
2021

A higienização de um estabelecimento de saúde é de extrema importância para garantir a segurança, o bem-estar e o conforto dos utentes e também dos profissionais de saúde. 
Neste contexto, os serviços de limpeza e desinfeção dos hospitais são de uma enorme importância, pois são uma grande influência na prevenção de complicações relacionados com as falhas nas técnicas de higiene, o que não exclui a responsabilidade tanto dos profissionais de saúde como dos pacientes em manter o espaço limpo e seguro.
Nunca este tema teve tanta importância para a sociedade. Sendo assim, vamos falar sobre a higienização hospitalar e as melhores práticas.

Higienização hospitalar
A higienização hospitalar considera todas as técnicas de limpeza, desinfeção e esterilização utilizadas em todos os ambientes internos de um hospital. Vários procedimentos são utilizados de acordo com o risco de infeção nas unidades hospitalares (UCI, urgências, bloco operatório, enfermarias, ambulatórios, áreas administrativas, etc.).

No ambiente hospitalar, os diversos fatores que influenciam a contaminação podem ser minimizados com o uso de técnicas eficazes de limpeza e desinfeção. Esses fatores são:

  • contacto das mãos dos profissionais com superfícies;
  • falha na utilização de técnicas básicas de higiene pelos profissionais;
  • superfícies húmidas ou molhadas;
  • superfícies empoeiradas;
  • falha na limpeza de matéria orgânica.

Por outro lado, medidas simples empregadas no ambiente ajudam a prevenir a contaminação cruzada entre os utentes internados.

Etapas da higienização
Diferentes procedimentos antimicrobianos são utilizados dentro do hospital para a manutenção da higiene. Cada procedimento necessite de ser compreendido, para que seja aplicado de forma correta nas várias situações.

Limpeza
A limpeza diz respeito à extinção de sujidades e detritos de forma mecânica, com o objetivo de reduzir a população microbiana de um ambiente. É o primeiro passo em qualquer procedimento de higienização. Os métodos de limpeza são determinados de acordo com o tipo de superfície e a presença de matéria orgânica (sangue, fluidos corporais etc.).
A varredura e a espanação seca são contraindicadas em qualquer área hospitalar, pois espalham poeiras e micro-organismos no ambiente. Deve-se utilizar sempre a varredura molhada, com panos e esfregões.

Desinfeção
O processo de desinfeção inclui a destruição dos micro-organismos presentes em superfícies ou objetos, por meio da aplicação de produtos químicos ou reações físicas. A desinfeção pode ser de baixo, médio ou alto nível, de acordo com o uso do material desinfetado (estetoscópios, equipamentos de assistência respiratória, laringoscópio etc.).

Esterilização
A esterilização diz respeito ao processo de destruição total dos micro-organismos em todas as suas formas (bactérias, vírus, fungos) por meio de agentes químicos ou físicos. 

Melhores práticas
A seguir, iremos listar algumas das melhores práticas de higienização hospitalar, para garantir a manutenção de um ambiente limpo e seguro.

Adotar os melhores padrões de qualidade
Implementar os melhores padrões de qualidade é o caminho certo para respeitar as práticas de higienização hospitalar. A certificação de qualidade do hospital pode ser alcançada através de recomendações presentes nos manuais de acreditação hospitalar, que seguem padrões previamente testados e definidos.
Em relação à higiene, os principais objetivos são:

  • o hospital possuir estrutura física conservada e materiais adequados para a limpeza;
  • existirem manuais, normas e rotinas para a realização da higienização hospitalar;
  • existirem recursos humanos especializados no desenvolvimento das atividades de higiene.

Formação apropriada
O serviço de limpeza do hospital tem o objetivo de preparar o ambiente para as atividades que serão realizadas, sempre com o foco na limpeza e conservação do ambiente, evitando assim a disseminação da contaminação.
Para isso, é necessário que todo o pessoal envolvido nas etapas da higienização seja especializado e que esteja preparado para atuar.
Os conceitos de contaminação, limpeza e desinfeção devem ser do conhecimento de todos, além da formação para o correto uso de equipamentos e produtos.
No caso de contratação de serviços externos, é necessário garantir que esses trabalhadores estejam enquadrados com a realidade onde irão desempenhar as suas funções.

Equipas comprometidas
Como falámos anteriormente, a higienização hospitalar depende também da atuação e da consciencialização dos profissionais de saúde e dos pacientes internados, e não apenas da equipa de limpeza.
Os profissionais de saúde devem também receber formação sobre a importância de técnicas de desinfeção, bem como a higienização das mãos e a separação dos resíduos de saúde. O uso de cartazes pode ser uma boa estratégia para garantir a adesão das equipas.

Os pacientes devem ser educados quanto às principais formas de prevenção de contaminação e infeção, para que possam estar atentos às práticas dos profissionais que os atendem.
As infeções relacionadas à assistência à saúde representam um grande risco para a segurança do utente internado e a todos os recursos humanos que ali trabalham. A implementação de medidas corretas de higienização hospitalar é extremamente necessária para reduzir esse risco.

Subscrever
NEWSLETTER
 
O site PMH - Produtos Médico Hospitalares, S.A. utiliza cookies. Ao navegar está a concordar com a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies. Aceito
Aguarde...