Ligue-me
Pretendo receber mais informações

A variante Delta SARS-CoV-2 - O que sabemos até agora

26
ago
2021

Esta publicação dá uma visão geral do conhecimento atual sobre a variante Delta e o que precisamos fazer para evitar a sua propagação.

À medida que a pandemia COVID-19 continua, surgiram várias variantes do vírus SARS-CoV-2. Isto não é nenhuma surpresa, é um resultado muito normal da constante e rápida mutação dos vírus. Uma variante que tem sido particularmente bem-sucedida – a variante Delta.

O que sabemos sobre a variante Delta?
A variante Delta surgiu pela primeira vez na Índia no final de 2020.
A Delta é agora o tipo predominante de SARS-CoV-2 no Reino Unido e está a emergir noutras partes do mundo.

Está associada a uma taxa de transmissão mais elevada – as evidências sugerem que a variante Delta é aproximadamente duas vezes mais infeciosa do que outras variantes, embora a razão para isto não é bem compreendida.

Existem algumas evidências de que a variante Delta causa doenças mais graves do que outras variantes.
As vacinas atualmente disponíveis para o COVID-19 são eficazes contra a variante Delta.

INVESTIGAÇÃO RELACIONADA: Delta Variant: O que sabemos sobre a ciência
O que temos de fazer para evitar a propagação da variante Delta?

Embora não compreendamos algumas das razões por trás das características-chave da variante Delta (que é mais transmissível e tem uma tendência para doenças mais graves), sabemos que as vias de transmissão fundamentais para o vírus não mudaram. Como todas as variantes SARS-CoV-2, as principais vias de transmissão são através de partículas respiratórias, com transmissão de contacto também possível. Por isso, para evitar a propagação da variante Delta, devemos continuar a praticar os comportamentos que aprendemos nos últimos 18 meses.
Estes incluem:

Ser vacinado
Se todos fossem vacinados, a variante Delta não se espalharia.

Mãos
A prática de uma boa higiene das mãos deve agora ser uma segunda natureza para todos nós de modo a evitar a propagação do COVID-19 e de outras doenças infeciosas.

Rosto
A lei mudou agora, o que significa que o uso de máscaras é uma escolha pessoal. O nosso conselho é que as máscaras sejam usadas em espaços fechados interiores, especialmente quando a ventilação é fraca.

Espaço
Melhorar o distanciamento físico ajudará a prevenir a propagação do COVID-19. Devemos distanciar-nos fisicamente sempre que possível.

Ar fresco
Quanto mais ventilado um espaço interior é, menor o risco de propagação COVID-19 .

Superfícies
O SARS-CoV-2 pode contaminar superfícies. É por isso que, as superfícies devem ser limpas e desinfetadas regularmente. Os toalhetes universais Clinell são eficazes contra o vírus SARS-CoV-2
.
INVESTIGAÇÃO RELACIONADA: Eficácia clinell contra coronavírus (COVID-19)

A Delta não será a última variante SARS-CoV-2 a emergir, mas tem sido a mais 'bem-sucedida' até agora. Com o outono a chegar, podemos esperar que a prevalência do COVID-19 aumente em linha com as tendências sazonais. Por isso, nunca foi tão importante continuar com as nossas medidas de prevenção COVID-19.

Ajude a espalhar a palavra partilhando este artigo nas redes sociais.

 

 

O site PMH - Produtos Médico Hospitalares, S.A. utiliza cookies. Ao navegar está a concordar com a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies. Aceito
Aguarde...